Jair Montes e Fernando Serrão, o Fernando “da gata” são presos em desdobramento de operação realizada em 2013 – Operação Apocalipse

Banner na materia inicio  816 x90

O Caso teve grande repercussão diante de graves acusações feitas por Fernando da gata a dois magistrados

Policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas (Draco/PC-RO) cumpriram mandado de prisão preventiva contra o vereador Jair Monte, deputado estadual eleito (PTC), e Fernando Braga Serrão, o Fernando da Gata, durante a manhã desta sexta-feira (14), em Porto Velho. A prisão de Jair Montes é consequência de sentença condenatória criminal, em primeiro grau, por envolvimento em fatos criminosos investigados na Operação Apocalipse.

Como sua diplomação de deputado estadual eleito ocorrerá na próxima terça-feira, quando ganhará imunidade, a justiça se antecipou e decretou sua prisão, mesmo em se tratando de sentença de juízo de primeiro grau contra a qual cabe recurso ao Tribunal de Justiça de Rondônia.

O mandado de prisão preventiva contra a dupla foi expedido pelo juiz da Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho, Glodner Luiz Pauletto, e refere-se, ainda, à Operação Apocalipse, desencadeada em 2013 pela Polícia Civil e que, na ocasião,  já havia resultado na prisão de Jair e de Fernando da Gata, além de outras pessoas acusadas de envolvimento com o narcotráfico. Em 2014 durante julgamento, Fernando da gata fez inúmeras acusações contra o magistrado Glodner e o então juiz Arlen José Silva de Souza. As acusações feitas por “da gata” aconteceram no dia 28 de fevereiro de 2014, dentro da Sala de Audiências.

Segundo a denúncia, Fernando da Gata teria dito que o magistrado era amigo pessoal do governador Confúcio Moura e que a sentença já estava pronta. A frase foi manifestada, segundo a denúncia, porque Fernando não gostou de ter seu pedido de prisão revogado pelo magistrado.

Fernando da Gata não disse somente isso, durante a audiência. Ele denunciou também um suposto esquema político favorecendo o Governador Confúcio, “Caixa Dois” de campanha e que, nos inícios das investigações, o juiz Arlen José lhe pedira R$ 400 mil pela liberdade provisória do réu e citou outro caso da qual tomou conhecimento no presídio envolvendo o magistrado.

Jair montes

Jair Montes foi eleito deputado estadual, mas não tem imunidade parlamentar porque só tomará posse no cargo no início do próximo ano. Ele e Fernando da Gata devem ser transferidos ainda nesta sexta-feira para um presídio da capital.

Da redação


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...