Chile vai proibir entrada de mais de 100 venezuelanos ligados a Maduro

Banner na materia inicio  816 x90

O presidente chileno, Sebastián Piñera, anunciou nesta sexta-feira (5) que proibirá o ingresso no Chile de mais de 100 venezuelanos ligados ao governo de Nicolás Maduro, um dia depois de divulgado o relatório da ONU sobre a situação dos direitos humanos na Venezuela.

Com base no duro informe sobre a Venezuela apresentado em Genebra pela alta comissária da ONU para os Direitos Humanos e ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet, Piñera anunciou medidas para enfrentar a crise venezuelana.

O Chile se soma, assim, aos países sul-americanos que impuseram sanções a pessoas com vínculos com o governo venezuelano. Em janeiro, a Colômbia proibiu a entrada de mais de 200 colaboradores de Maduro no país, enquanto a Argentina fechou as portas para mais de 400.

“Vamos proibir o ingresso no Chile de mais de 100 pessoas que estão diretamente ligadas à ditadura da Venezuela. São pessoas que são parte do governo venezuelano”, disse Piñera, em entrevista coletiva.

Piñera também anunciou que pedirá a Bachelet que entregue “todos os antecedentes e provas que sustentam o relatório ao Tribunal Penal Internacional” e que peça ao Conselho de Direitos Humanos da ONU a “ficar vigilante no tema dos direitos humanos na Venezuela”.

O informe da ONU relata o assassinato de cerca de 7.000 pessoas desde 2018 por parte das forças de segurança e afirma que o exercício das liberdades e dos direitos fundamentais, como a liberdade de expressão no país sul-americano, são “um risco de represálias e de repressão”.

“Este último informe é lapidar. É preciso ter muita força para lê-lo pelas atrocidades cometidas pelo governo de Nicolás Maduro”, declarou Guaraquena Gutiérrez, a representante no Chile do líder do Parlamento venezuelano, Juan Guaidó, autoproclamado presidente encarregado reconhecido por cerca de 50 países.

“É um relatório necessário e útil para poder avançar frente aos graves e trágicos problemas que afetam a Venezuela”, afirmou Piñera.

Bachelet elaborou o documento, após sua recente visita ao país para ver de perto da realidade da crise. Depois de sua estada, Caracas libertou 62 detidos, entre eles o jornalista chileno-venezuelano Braulio Jatar e a juíza Lourdes Afiuni.

O informe de Bachelet “é de uma verdade demolidora”, disse Jatar ao canal de notícias 24 horas, agradecendo a Bachelet por seu interesse pela prisão domiciliar em que foi posto desde 2017. Ele havia sido detido um ano antes por registrar imagens durante um protesto contra Maduro.

– Crítico ferrenho –

O presidente chileno foi um dos mais duros críticos do governo de Maduro, pedindo-lhe que “ponha fim à ditadura” e convoque novas eleições no menor tempo possível. Também reconheceu o líder parlamentar de oposição Juan Guaidó como legítimo presidente da Venezuela.

“A melhor solução para a tragédia em que vive o povo venezuelano é que termine esta ditadura, que se constitua um governo de transição e que se convoque o quanto antes eleições limpas, livres, transparentes e democráticas”, afirmou Piñera.

O Chile recebeu em sua embaixada em Caracas pelo menos dez opositores venezuelanos. Alguns deles conseguiram sair do país e se instalaram em Santiago. Também foi um ativo membro do Grupo de Lima, composto em 2017 por mais de dez países do continente para buscar uma saída pacífica para a crise venezuelana.

Mais de quatro milhões de venezuelanos deixaram seu país, segundo dados da ONU, fugindo da crise econômica atroz que reduziu em mais da metade o PIB do país.

Com cerca de 400.000 pessoas chegadas nos últimos anos fugindo da grave crise na Venezuela, o Chile é o terceiro maior receptor de venezuelanos na região, atrás de Colômbia e Peru. A comunidade se tornou a maior colônia estrangeira no país, representando 30% da população imigrante.

O governo chileno estima que, até 2020, devem entrar outros 300.000 venezuelanos no país, pondo as autoridades em alerta diante das complicações que esse êxodo em massa pode causar internamente.

AFP



Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...