Os deputados que traíram o povo de Rondônia

Banner na materia inicio  816 x90

Essa semana promete ser qualquer coisa menos monótona. Além da divulgação de novos trechos da Vaza Jato e do primeiro áudio da série, o governo quer aprovar a Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados a toque de caixa. Para isso, Bolsonaro sequer disfarça a compra de votos em forma de emendas parlamentares. O presidente já havia prometido mais de R$2 bilhões nos últimos meses e essa semana decidiu liberar ainda mais dinheiro para os deputados que votarem a favor.

Ontem a oposição conseguiu atrasar a votação que seria imposta no atropelo e tentaram retirá-la da pauta, porém, sem sucesso. De madrugada, a base do governo conseguiu votar por encerrar a sessão para evitar que a votação nesta quarta-feira fosse adiada.

Sendo assim, os deputados que votaram a favor do encerramento da sessão nesta madrugada são aqueles que estão favoráveis à Reforma da Previdência e não queriam que houvesse atraso. Com isso, podemos ver quais deputados de Rondônia são favoráveis e, inclusive, aqueles que possivelmente foram comprados e mudaram seu voto.

Segundo o site napressao.org.br, que reúne os dados de contato e posicionamento sobre a reforma, a deputada federal Silvia Cristina (PDT-RO) era contrária à Reforma da Previdência (https://napressao.org.br/campanha/querem-o-fim-da-sua-aposentadoria/silvia-cristina-amancio-chagas). Entretanto, contrariando a orientação de seu próprio partido, a deputada votou favorável ao encerramento da sessão para evitar o atraso da votação do projeto. Por conta disso, caso a deputada continue contrariando seu partido, ela deverá ser expulsa e enfrentar processo na Comissão de Ética.

Ainda, Lucio Mosquini (MDB-RO) consta na lista do site mencionado como indeciso, mas ainda assim votou favorável (https://napressao.org.br/campanha/querem-o-fim-da-sua-aposentadoria/lucio-antonio-mosquini) como sua colega Silvia. Leo Moraes (PODEMOS-RO), também classificado como indeciso (https://napressao.org.br/campanha/querem-o-fim-da-sua-aposentadoria/leonardo-barreto-de-moraes), parece ter tomado a decisão de ser favorável ao sucateamento da aposentadoria dos mais pobres.

Entretanto, vale reconhecer uma exceção positiva. Expedito Neto (PSD-RO) constava na lista como a favor da reforma (https://napressao.org.br/campanha/querem-o-fim-da-sua-aposentadoria/expedito-goncalves-ferreira-netto), porém votou contra o encerramento da sessão – o que não significa que ele tenha tido uma mudança de perspectiva.

Expedito Neto é empresário, bacharel em direito e já ficou famoso por ter sido campeão de gastos de dinheiro público na bancada rondoniense por meio da cota parlamentar nos primeiros 3 meses deste ano (https://www.tudorondonia.com/noticias/expedito-netto-e-o-campeao-de-gastos-da-bancada-federal-rondoniense-em-brasilia,29888.shtml).

Não obstante, é importante ressaltar que ontem vários políticos do centrão, e inclusive do próprio PSL, optaram por resistir ao apoio a reforma enquanto o governo Bolsonaro não liberasse mais emendas em troca de seus votos. Tenhamos esperança de que o caso de Expedito Neto seja uma profunda mudança de convicção e não uma manobra para conseguir alguns milhões de reais a mais para executar obras em seu colégio eleitoral e fazer propaganda para sua reeleição em 2022.

No mais, Coronel Chrisóstomo (PSL-RO), do mesmo partido que o presidente, Mariana Carvalho (PSDB-RO) e Jacqueline Cassol (PP-RO) seguiram a favor, e nada indica que esses três venham a mudar de opinião. Possuem a convicção de que são os trabalhadores e idosos que devem pagar a conta da austeridade no Brasil, enquanto o presidente agracia ruralistas e banqueiros com isenções fiscais bilionárias que deveriam pagar o tal rombo da previdência.

Em tempo, Mauro Nazif (PSB-RO) já era contrário à Reforma da Previdência e permaneceu contrário até ontem (https://napressao.org.br/campanha/querem-o-fim-da-sua-aposentadoria/mauro-nazif-rasul), praticamente lutando sozinho pelo povo trabalhador de Rondônia. Teria sido muito fácil fazer como seus colegas de bancada: rifar os direitos dos seus eleitores em troca de verba para fazer obras passageiras em seu colégio eleitoral e, com isso, usar o dinheiro público como campanha de marketing para uma futura reeleição.

Dessa forma, o estado de Rondônia parece estar seriamente mal representado na câmara. A maioria dos seus representantes só se importa com os lucros dos grandes latifundiários e com o lucro que os banqueiros vão ter com a venda de planos de previdência privada (e que já estão investindo pesadamente em propaganda para iniciar as vendas). Outros deputados, viraram a casaca para cair nas graças das emendas parlamentares às custas da aposentadoria do povo que os elegeu. E, até que Expedito Neto demonstre o contrário, Mauro Nazif segue sozinho na defesa da aposentadoria dos trabalhadores rondonienses.

Da Redação


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...