Cinco são presos por envolvimento na fuga de Carlos Ghosn

Banner na materia inicio  816 x90

Um tribunal da Turquia decidiu nesta sexta (3) prender formalmente cinco suspeitos por suposta ajuda durante a fuga do ex-presidente da Nissan-Renault, Carlos Ghosn.

O país havia detido um grupo de sete pessoas na manhã da quinta, 2, formado por quatro pilotos, dois trabalhadores de solo de um aeroporto e um funcionário de transporte de carga.

Ghosn tinha um julgamento marcado para 2020 e fugiu do Japão para o Líbano nesta semana, se evadindo das acusações de fraude financeira. Dados de rastreamento de voo sugerem que Ghosn usou dois aviões diferentes para voar para Istambul e depois para o Líbano.

Ele é acusado por promotores de informar ao fisco ganhos menores do que realmente recebeu e temporariamente transferir seus prejuízos financeiros pessoais para as contas da Nissan. Um tribunal permitiu a prisão domiciliar mediante o pagamento de uma fiança de US$ 13,8 milhões. Ghosn nega as acusações.

Como o processo se arrastava, Ghosn estudou casos de criminosos famosos que fugiram do sistema judiciário japonês e ficou convencido de que jamais teria um julgamento justo no Japão, considerando a porcentagem de 99% de condenações decididas pela justiça do país.

O ex-presidente da Nissan chegou a receber em casa o produtor de Hollywood John Lesher, que conquistou um Oscar em 2014 pelo filme Birdman, estrelado por Michael Keaton. O encontro foi para discutir o roteiro da sua própria história, descrevendo o que considera uma prisão injusta decidida pelas autoridades japonesas e sua luta para provar sua inocência.

Todos os elementos de um thriller no estilo de Hollywood se conjugaram: um avião particular transportando um fugitivo, vários passaportes, rumores de que forças ocultas operaram no caso e pessoas poderosas negando saber alguma coisa a respeito.

Estadão Conteúdo



Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...