Datena ataca reportagem e diz que Band é a que menos recebe verba do governo

Banner na materia inicio  816 x90

Apresentador rebateu informações publicadas pela Folha de S. Paulo

No Brasil Urgente, Datena negou que Band receba alta verba do Governo (Imagem: Reprodução / Band)

Durante a edição desta quarta-feira (15) do Brasil Urgente, José Luiz Datena aproveitou uma brecha para criticar a matéria da Folha de S. Paulo que afirmou que a Band, Record e SBT estão entre os canais que mais receberam verbas publicitárias do Governo Federal em 2019.

A publicação trouxe à tona o fato de Record e Band serem clientes da empresa do chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Fabio Wajngarten. Uma investigação será feita afim de descobrir se distribuição das verbas oficiais por critérios políticos, de forma a favorecer TVs alinhadas com o governo.

Após a participação do jornalista Sérgio Amaral, direto de Brasília, que falou sobre o adiamento da implementação da regra de juiz de garantias, Datena, em tom irritado, tomou a palavra e deu o recado ao vivo.

“Já que nós estamos falando de Brasília, pra quem tá falando muita caca por aí (sic), só queria dizer o seguinte: a Band e esse programa aqui, e por consequência a Band, estão entre os programas que menos recebem dinheiro do Governo Federal. Mídia técnica”, enfatizou.

O apresentador reiterou várias vezes que a emissora do Morumbi, ao contrário da reportagem, continua recebendo pouca verba do governo. Datena também disse que as informações eram “bobagem”, mesmo sem citar o nome do jornal.

“Antes de falar bobagem, chequem direito para vocês verem para onde está indo a verba do Governo Federal, que é mídia técnica, não é? E aqui a mídia técnica é muito menor do que em outras emissoras, disparadamente menor que outras emissoras. Só para deixar bem claro”, finalizou.

Cabe lembrar que Datena é um dos poucos jornalistas que conseguiram uma entrevista exclusiva com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), desde que ele assumiu a presidência da República. Além dele, Ratinho e os jornalísticos da Record, programas das emissoras citadas na reportagem, foram contemplados.

Procurada pelo RD1, a Band informou o seguinte: “A empresa FW Comunicação e Marketing, especializada em Controle da Concorrência, presta serviços ao mercado de comunicação há anos. A Bandeirantes tem contrato desde 17 de dezembro de 2004. Os recursos de publicidade do Governo Federal destinados à Band em 2019 foram menores do que os recursos destinados em 2018”.

TCU investigará repasse de verbas publicitárias do Governo Bolsonaro

O Ministério Público de Contas, atuante perante ao Tribunal de Contas da União (TCU), apresentará na sexta-feira (12) uma representação obrigando que a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) distribua as verbas de publicidade do governo federal com base em critérios técnicos.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a decisão foi motivada após a publicação da reportagem apontando que o chefe da Secom, Fabio Wajngarten, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), recebe repasses de emissoras de TV e agências de publicidade, contratadas pela própria secretaria, ministérios e estatais, por meio de uma empresa da qual é dono.

Feita pelo procurador Lucas Rocha Furtado, a representação vai requerer ao TCU uma medida cautelar, de cumprimento imediato, para que os repasses às emissoras de TV sejam igualitários. Isso não vem ocorrendo e tampouco tem seguido critérios de audiência, uma vez que em 2019, a Globo, canal mais assistido, recebeu menos verba que Record e SBT.

Além disso, o TCU também investigará uma possível distribuição das verbas oficiais por critérios políticos, de forma a favorecer TVs alinhadas com o governo. Desde que assumiu a pasta, com exceção da Globo, os outros canais passaram a ter preferência por Bolsonaro para dar entrevistas.

João Amaro,RD1


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...