Suíça descobriu suposto plano de espionagem de russos em Davos, diz jornal

Banner na materia inicio  816 x90

Autoridades suíças frustraram uma aparente operação de espionagem de russos se passando por encanadores em Davos, local da reunião anual do Fórum Econômico Mundial, informou um jornal nesta terça-feira, mas a polícia não confirmou os principais detalhes do relato.

Logo do Fórum Econômico Mundial, em Davos 21/01/2020 REUTERS/Denis Balibouse
Foto: Reuters

A reportagem do jornal Tages-Anzeiger informou que dois russos foram inspecionados pela polícia suíça em agosto do ano passado na estação de esqui que recebe esta semana a reunião da elite empresarial e política global. A dupla apresentou passaportes diplomáticos e deixou o país, segundo o jornal.

A polícia do cantão suíço de Grisões disse que dois homens com passaporte diplomático russo foram objeto de uma verificação de identidade de rotina em Davos em agosto de 2019, mas nenhuma conexão foi estabelecida entre a visita e o Fórum Econômico Mundial.

“É verdade que checamos dois cidadãos russos em Davos e eles se identificaram com passaportes diplomáticos, mas não pudemos encontrar nenhuma razão para detê-los. Eles foram autorizados a partir”, disse uma porta-voz da polícia, acrescentando que a polícia nunca identificou os homens como encanadores.

Um porta-voz da embaixada russa em Berna rejeitou o relato, dizendo que dois diplomatas russos credenciados fora da Suíça foram verificados e autorizados a seguir seu caminho.

“Passaportes diplomáticos são dados a funcionários de alto escalão, e não a trabalhadores manuais”, disse ele. “Acho que provavelmente foi uma piada idiota”.

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia em Moscou, afirmou que não tinha conhecimento do incidente.

O gerente de fundos de investimento Bill Browder, que liderou uma campanha para expor a corrupção e punir autoridades russas, a quem ele culpa pela morte de seu advogado Sergei Magnitsky, que morreu em uma prisão de Moscou em 2009 após se queixar de maus-tratos, disse que o suposto incidente mostra alcance do Estado russo.

“Os russos estão atacando ativamente todos os seus inimigos em todos os países – eles têm enormes recursos e Davos é um lugar importante, e este é o lugar em que posso ir e desafiar pessoalmente as autoridades russas pelo assassinato de Sergei Magnitsky”, disse Browder à Reuters em Davos nesta terça-feira.

Promotores russos dizem suspeitar que Browder ordenou uma série de assassinatos, incluindo o de Magnitsky — uma acusação que o executivo considerou ridícula.


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...