Após 9ª morte de idoso com coronavírus, lar de velhinhos é interditado em Itu

Banner na materia inicio  816 x90

A Promotoria alega que houve “negligência e imprudência dos responsáveis pela clínica na adoção de medidas elementares de prevenção e controle da infecção”

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) pediu à justiça a interdição de uma clínica de idosos de Itu, no interior do Estado, após o registro da nona morte de interno pelo coronavírus. A Promotoria de Direitos Humanos e Proteção à Pessoa Idosa alega que houve “negligência e imprudência dos responsáveis pela clínica na adoção de medidas elementares de prevenção e controle da infecção”. O último óbito aconteceu no domingo, 17. Nesta terça-feira, 19, sem esperar a decisão judicial, a prefeitura decidiu interditar a casa de idosos.

A clínica particular funciona em duas unidades que estão sob intervenção de equipes de saúde da prefeitura desde o último dia 4, após a confirmação da primeira morte. Na ação civil pública, protocolada nesta segunda-feira, 18, no Fórum local, o MP afirma que as inspeções das vigilâncias sanitária e epidemiológica do município encontraram graves irregularidades no isolamento dos idosos com suspeita da doença. Conforme relatórios das vigilâncias, os responsáveis pela clínica “não realizaram o isolamento dos internos, que ficaram no mesmo quarto do primeiro interno suspeito”. A omissão, segundo a promotoria, teria propiciado a disseminação do vírus.

Foi constatado que as camas estavam sem o distanciamento adequado, a menos de um metro uma da outra, e que em várias ocasiões os internos foram encontrados sem máscaras. Segundo o promotor Christiano José Poltronieri de Campos, que assina a ação, mesmo após o responsável técnico pela clínica ter informado à Secretaria Municipal de Saúde sobre as medidas de prevenção e controle da infecção, numa das inspeções se constatou que “o amontoado de idosos em um único ambiente da clínica era notório (aglomeração dos residentes na sala de TV e nos quartos compartilhados)”.

Ainda segundo a ação, a verificação do estado de saúde dos idosos não era feita na frequência adequada e faltavam kits individuais de higiene. Essas condições teriam levado à contaminação de todos os 40 idosos e de nove dos 22 funcionários pelo vírus, como constatado pelas vigilâncias. Uma das clínicas sequer tinha autorização para funcionamento. “Em conclusão, evidencia-se a concorrência direta dos requeridos (responsáveis pela clínica) para a ocorrência de surtos e eventos de infecção e morte que ocorreram e estão ocorrendo no âmbito das ILPIs (instituição para idosos), unidades 1 e 2”, afirma.

A promotoria pede que a prefeitura providencie em cinco dias a remoção dos internos para outras instituições autorizadas e mantenha a intervenção no atendimento de saúde aos idosos. Pede ainda que a Bem Estar fique proibida de atender idosos.

Em nota, a prefeitura de Itu informou que, mesmo sem o julgamento da ação do MP, notificou a clínica nesta terça-feira, 19, quanto à interdição do estabelecimento. “Assim, tratando-se de clínica particular, será possível promover a remoção dos internados para local a ser definido pelos familiares ou pela própria clínica.” Na unidade 1 da casa de longa permanência, os resultados da testagem de 62 pessoas, entre internos e colaboradores, apontaram que 100% dos internos estavam contaminados. Houve também a contaminação de 9 colaboradores. Na unidade 2, não houve casos de coronavírus.

A direção da clínica Bem Estar informou que a ação do MP está sendo analisada pelo seu jurídico, que se manifestará oportunamente.

Mortes
Desde o início de abril, ao menos 32 residentes em casas de repouso para idosos morreram no interior de São Paulo após infecção pelo coronavírus. Além das nove mortes na Bem Estar, outros nove idosos morreram no Lar Betel, em Piracicaba. Na mesma cidade, foram registrados quatro mortes na Bem Viver, outra instituição da cidade. Houve ainda seis óbitos no Lar Feliz 1, em Hortolândia; dois na Casa dos Velhinhos de Serrana e um no Lar Vicentino de Penápolis. Também foi registrado um óbito em asilo de Nova Odessa.

José Maria Tomazela


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...