Badges: Instagram lança função para criador de conteúdo faturar com lives

Banner na materia inicio  816 x90

Por enquanto em testes apenas nos EUA, ferramenta permitirá que fãs paguem de US$ 1 a US$ 5 para terem comentário ‘com destaque’ em transmissão ao vivo; funcionalidade chegará ao Brasil em breve, diz empresa

A partir desta quarta-feira, 27, os criadores de conteúdo terão mais uma forma de ganhar dinheiro com o Instagram. A rede social vai começar a testar uma nova ferramenta, chamada de Badges, que permitirá que fãs paguem para ter um comentário destacado em uma transmissão ao vivo. Por enquanto, a funcionalidade ficará disponível apenas nos Estados Unidos, mas a previsão da empresa é de que “ela chegue daqui a pouco ao Brasil”, como relata o diretor de parcerias do Instagram para a América Latina, Gonzalo Arauz, ao Estadão.

Imagem mostra como fã pode comprar ‘medalha’ e como comentário ‘pago’ vai aparecer em live
Foto: Instagram / Estadão

“Os criadores de conteúdo estão dentro de suas casas e têm cobrado formas sobre como podem continuar produzindo conteúdo para entreter as pessoas no período de isolamento social, por conta da pandemia do coronavírus”, diz Arauz. Segundo a empresa, houve um aumento de 70% nas visualizações de vídeos ao vivo entre fevereiro e março. O executivo não preciso uma data específica para quando o novo recurso chegará ao país.

A partir desta quarta-feira, 27, influenciadores americanos que iniciarem uma live poderão vender as Badges (medalhas ou distintivos, em português) – a ferramenta só estará disponível para contas que forem cadastradas como “criadores de conteúdo” ou “negócios”. Elas terão três valores diferentes – US$ 1, US$ 2 e US$ 5 – e darão ao público a chance de aparecer para o criador de conteúdo, como se fosse um ‘fã de carteirinha’. A ideia não é exatamente nova: já é usada há alguns por serviços que fazem transmissões ao vivo, como o YouTube e site especializado em games Twitch, da Amazon. No exterior, é uma forma bastante popular do público apoiar seus influenciadores favoritos.

Os valores poderão ser pagos com Apple Pay e Google Pay, além de ferramentas de pagamento do Facebook, como o Facebook Payments, onde ele estiver disponível. Segundo o executivo, o Instagram não vai cobrar comissão sobre a venda dos distintivos durante a fase de testes. “Vamos explorar essa possibilidade (de cobrar) para o futuro, mas não agora, durante a fase de testes”, diz o executivo. Também não há previsão sobre os valores para o Brasil, quando a funcionalidade for testada por aqui.

Durante a entrevista, Arauz afirmou ainda que a empresa estuda criar outras formas de monetização direta para os criadores de conteúdo. Até a implementação das Badges, um influenciador só conseguiria faturar no Instagram fazendo um acordo direto com as marcas – formato que se tornou tão popular que a empresa teve de desenvolver uma funcionalidade para mostrar que uma determinada publicação era uma “parceria paga”.

Nos EUA, empresa testa dividir receita de anúncios do IGTV
Uma dessas possibilidades de fazer os criadores de conteúdo ganharem dinheiro dentro da plataforma também está sendo anunciada nesta quarta-feira, 27. A partir desta data, a empresa afirma que vai passar a dividir com os influenciadores uma parte do que fatura com anúncios dentro do recurso do IGTV, criado pela empresa em 2018.

Com imagens na vertical, a área do aplicativo permite a publicação de vídeos mais longos do que um minuto e tentou rivalizar com o YouTube, mas não decolou. Por enquanto, a divisão dos ganhos acontecerá apenas nos EUA e não tem previsão de chegar ao Brasil.

Bruno Capelas


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...