Pandemia reduz renda de quase 70% dos produtores de hortaliças e frutas, diz pesquisa

Banner na materia inicio  816 x90

Estudo feito pelo Cepea afirma que, apesar de serem essenciais, setores do agronegócio tiveram “suas vulnerabilidades expostas”.

Produção de hortaliças em Ribeirão Preto, interior de SP — Foto: Ronaldo Gomes/EPTV

Um pesquisa realizada pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplica da USP (Cepea) afirma que 68% dos produtores de frutas e hortaliças consultados dizem que tiveram problemas de renda devido à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o Cepea, a situação mostra que, mesmo sendo uma atividade essencial, “o agronegócio teve suas vulnerabilidades expostas pela interrupção ou limitações das vias de comercialização (até então, sem precedentes)”.

A pesquisa afirma que, no geral, parte do setor só não teve prejuízo mais intenso no primeiro semestre porque a oferta da maioria dos produtos foi controlada de março a maio.

No caso das hortaliças, a safra de verão teve a produtividade reduzida e o volume ofertado esteve menor, especialmente para produtos como batata, cebola, cenoura e tomate.

Quanto às frutas, o clima prejudicou a produção, ao passo que as exportações (incluindo de suco de laranja) registraram bom desempenho, limitando a disponibilidade doméstica e reduzindo a pressão sobre os preços.

A partir de junho, com a retomada gradual das atividades econômicas, o consumo de frutas e hortaliças reagiu.

“No entanto, é importante lembrar que a covid-19 segue ativa e que ainda não há medida eficaz no combate ao coronavírus”, diz o Cepea, em nota.

Futuro


Para os pesquisadores, os próximos meses devem ser marcados por desemprego, queda no poder de compra da população e por consequentes mudanças de hábito do consumidor.

“Se as perspectivas de muitas consultorias se concretizarem, o “novo normal”, em termos econômicos, deve ocorrer apenas em 2022. Ou seja, a realidade do hortifruticultor deve seguir alterada por um longo período.”

Por fim, os produtores ouvidos pelo Cepea dizem que o caminho para aliviar os prejuízos será pela eficiência e pelo aumento de produtividade. Cerca de 20% dos agricultores afirmam que não adotaram nenhum plano de ação para a pandemia.

Por G1


Todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do seu autor e em nada tem a participação do site RO24HORAS
Loading...